Canal Hora dos Brinquedos

[Youtube][grids]

Resenha: Os Bedwyns: Ligeiramente Casados - Mary Balogh


Ligeiramente Casados é o primeiro volume da série Os Bedwyns, de Mary Balogh.

Depois da morte do pai, Eve Morris assumiu a administração do Solar Ringwood. O pai deixou em testamento a propriedade para Eve pelo período de um ano após a sua morte, tempo que ela teria para contrair casamento para manter a herança, ou o solar passaria para o irmão, o capitão Percival Morris. Mas, o irmão já havia prometido doar a propriedade para Eve quando a herdasse, deixando-a tranquila em relação ao casamento e à sua fortuna. 

Entretanto, o capitão, que estava lutando na guerra, morre próximo ao aniversário de um ano da morte do pai, deixando Eve em uma situação delicada. Eve não só perderia a sua fortuna, mas também colocaria várias pessoas que dependiam dela em condições precárias. Mas, à beira da morte, o capitão Morris faz um último pedido para o seu superior, o coronel lorde Aidan Bedwyn: que ele fosse dar a notícia do falecimento pessoalmente à irmã, e que a protegesse de qualquer maneira. 

O coronel Bedwyn, sensibilizado com o último pedido do capitão, afinal o mesmo havia salvado a sua vida, resolve atendê-lo, embora não soubesse exatamente do que deveria proteger a Srta. Eve Morris. Porém é surpreendido ao chegar ao Solar Ringwood e encontrar uma propriedade próspera administrada pela irmã do capitão, uma mulher inteligente, generosa e independente. 

Porém, a Srta. Eve não aceita ajuda, e também não expõe a sua situação para o coronel. Mas, por uma questão de honra, ele deveria protegê-la, e ele faria de tudo para deixá-la em segurança, seja lá qual fosse o perigo. Até o coronel descobrir a condição em que ela se encontrava e perceber que a única maneira de salvá-la seria através de um casamento.

Não tendo como correr da situação, e também não vendo outra opção, o coronel Aidan Bedwyn resolve propor um casamento de conveniência, mesmo ele sendo um lorde e, considerando as origens da Srta. Eve, isso ser considerado inapropriado para o nome da família. Definitivamente o irmão do coronel, o duque de Bewcastle, nunca poderia saber disso.

Assim, eles se casam com o objetivo de se manterem unidos apenas pelo tempo necessário para a formalização do casamento, quando então se afastariam e nunca mais se encontrariam. Entretanto, após o casamento, ocorrem vários eventos que exigem a presença de um na vida do outro, e como uma mão lava a outra, eles acabam estendendo a união além do que haviam previsto. E quando eles dão por si, já estão envolvidos em uma relação que vai muito além da conveniência.


Livro encantador, com uma leitura deliciosa. Um amor que se desenvolve aos poucos, fiel e cúmplice. A história se desenvolve muito tranquilamente; apresenta as características dos personagens na medida em que entrelaça a vida de Eve com a de Aidan; nos prende desde o momento em que o casal se encontra pela primeira vez, e nos mantém entusiasmados com o desenrolar da relação até o fim. 

Normalmente os romances de época têm histórias muito conturbadas, com muitas brigas, muita petulância, e costumam ter um toque cômico. Apesar de serem muito divertidas, também nos deixam agitados. Já “Ligeiramente Casados” me deu uma sensação serena. Apesar de haver brigas entre Eve e Aidan (não pode faltar, né?), eles são um casal calmo, se relacionam de maneira tranquila, com respeito pelo outro. É um livro gostoso de ler, que não dá vontade de acabar.

Posso falar que se não for o meu casal preferido de romances de época, certamente é um dos. Fiquei apaixonada por Eve e Aidan! É incrível a lealdade, disponibilidade e comprometimento de um com o outro. Foi um casal que eu gostei inteiramente dos dois personagens. Não há nada para falar negativamente. 

Fiquei bem curiosa para conhecer mais sobre os outros integrantes da família Bedwyn. Não posso deixar de mencionar o duque de Bewcastle, o irmão mais velho de Aidan, que teve participação especial nesse volume, e a sua história promete. Se os outros volumes da série tiverem o mesmo tom do primeiro, Mary Balogh tem tudo para ser a minha autora favorita dos romances de época.

Livro que me surpreendeu demais. Foi uma leitura despretensiosa, que acabou me fisgando totalmente por conta da escrita da autora, que me deu a sensação de tranquilidade. Entrou para a lista de favoritos.

Nota: 5/5 (Excelente)

ISNB: 978-85-8041-321-2
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano: 2014

E aí, você já leu? Poste aqui seu comentário!

Até mais! Fabi

10 Maio 2016
Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :


Resenhas

[Resenhas][threecolumns]

Lançamentos de Livros

[Dicas][twocolumns]